sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Animais do Bosque: Jupará (Potos flavus)

Filo: Chordata

Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Procyonidae
Gênero: Potos
Espécie: Potos flavus



Este procionídeo tem uma cauda preênsil que o animal usa para se ancorar nos galhos. A cauda tem uma seção circular transversal; ela é uniformemente coberta com pêlos e gradualmente afinada até o final; o lado de baixo, entretanto, não tem quaisquer calos presos, que são características dos macacos do Novo Mundo. A pele, que é coberta com pêlos macios, curtos e finos, cabeça e orelhas arredondadas pequenas, nariz embotado com espéculo nasal rosa, e olhos projetados como botões com uma íris cor de castanha , tudo isso dá ao jupará sua aparência curiosa. Sua delgada língua estirada pode atingir quase 12 cm de comprimento, e auxilia na lambida do néctar, mel e polpa da fruta.





O Jupará (Potos flavus), é a única espécie deste gênero; os índios Puri do Brasil o chamam de “kinkajou”, nome emprestado da língua inglesa. Seu outro nome inglês, honey bear (urso de mel), refere-se à sua pele lustrosa amarela dourada, e não à sua preferência por mel.


Além da cauda preênsil, há regiões desprovidas de pêlos em algumas partes como nas regiões das glândulas da pele em ambos os lados da garganta abaixo dos cantos da boca e na região do umbigo, sendo os únicos entre os procionídeos com essas características.

Juparás são animais de hábitos  arborícolas e noturnos. Ocorrem freqüentemente em florestas chuvosas de planície e em florestas montanhosas, desde o nível do mar até altitudes de até 2500 m, porém , raramente são vistos.


Habitam o mesmo nicho ecológico à noite que os macacos- prego do gênero Cebus ocupam durante o dia. Após o anoitecer, o jupará deixa o seu esconderijo, boceja com a língua esticada para fora, e executa o “prescrito” ritual de espreguiçamento, arrumação e coceira. Só então ele fica pronto para sair.





Ele é extremamente bem adaptado à vida nas árvores, mas se preciso utiliza a cauda como um dispositivo seguro, ou se eleva nos galhos com a ajuda da cauda e de suas patas traseiras altamente rotativas. Desta maneira, ele tem as mãos livres para alcançar um galho mais baixo ou uma fruta.


Ele pode freqüentemente se alimentar suspenso de cabeça para baixo, mas usualmente não assume qualquer posição definida quando se alimenta. O animal também senta-se  ereto sobre as partes traseiras suportado pela cauda quando se alimenta. Também pode ser observado alimentando-se  agachado perto do alimento. Essa espécie manipula o alimento com suas patas, descasca os frutos com os dentes.


Outros itens alimentares que fazem parte da dieta são: flores, insetos,  mel, e algumas vezes atacam pequenos vertebrados como pássaros,ovos no ninho e pequenos répteis. Encontros com outros membros da espécie acontecem quase que somente em árvores frutíferas, exceto para dividir companhia com seus próprios filhotes. Tais encontros são razoavelmente barulhentos, já que eles são bem possessivos em relação ao alimento. Quando alarmados eles ficam quietos, e seguindo um som de baforada, um ou muitos animais vocalizam uma seqüência de sons de latido, como um cachorro latindo à distância.

Juparás não defendem seu próprio território, quando estão combatendo um predador, o animal se adere ao oponente com suas patas e com a cauda, causando feridas com seus fortes caninos. Seus inimigos incluem iraras, jaguatiricas, serpentes, onças e o homem.

Direito das fotos: Bosque dos Jequitibás

(Texto extraído da apostila do grupo "Ecos do Bosque"

2 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk21 de abril de 2010 21:51

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. isto e uma purcariaaaaaaa vvvvvvvvvvirros se lerem hahahaha e melhor arranjarem o pc se nao ele pifa-se

    ResponderExcluir